Exclusivo

João Loureiro ofereceu empresa a brasileiro para negócio da Omni

João Loureiro ofereceu empresa a brasileiro para negócio da Omni

Ex-líder do Boavista intermediou venda da companhia dona do avião onde seguiam 500 kg de cocaína.

O negócio da venda da empresa portuguesa proprietária do avião em que foram encontrados 500 quilos de cocaína, em Salvador, no Brasil, a brasileiros, com intermediação de João Loureiro, não está, pelo menos para já, na mira da Polícia Federal Brasileira (PFB) que está a investigar o caso, confirmou ao JN fonte oficial daquela Polícia.

O advogado Rowles Magalhães Pereira da Silva, que chegou a ser assessor do governador do Estado de Mato Grosso, tem um contrato de compra e venda para adquirir a OMNI - Aviação, SA, dona do avião. Segundo o seu advogado, Ricardo Monteiro, o negócio apenas aguardava um financiamento de um banco português para avançar e João Loureiro estaria a servir de intermediário.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG