Burla e falsificação

Julgamento de Vale e Azevedo novamente adiado

Julgamento de Vale e Azevedo novamente adiado

O julgamento agendado para esta terça-feira em que Vale e Azevedo deve responder por crimes de burla e falsificação de documento voltou a ser adiado. O tribunal não consegue notificar o arguido que vive em Inglaterra. É a quarta vez.

"Verificando-se que o arguido não se encontra notificado da data da audiência de julgamento, nem sendo expectável, atenta a sua postura processual, que se apresente voluntariamente nessa diligência, a fim de evitar deslocações inúteis por parte dos intervenientes processuais, dou sem efeito as datas designadas para a realização da mesma", justifica o despacho do juiz, citado pelo Jornal "Público".

Já há três anos que o Tribunal de Lisboa tenta notificar Vale e Azevedo, que vive em Inglaterra, do início do julgamento. Em 2012, o ex-presidente do Benfica foi acusado pelo Ministério Público (MP) de burla qualificada e falsificação de documento autêntico. Vale e Azevedo terá apresentado três milhões de euros de falsas garantias em três processos judiciais, além de ter tentado burlar o Millennium BCP, também com falsas garantias bancárias, para obter um crédito de 25 milhões de euros.

PUB

O ex-presidente do Benfica foi condenado em 2013 a 10 anos de cadeia por se ter apropriado de mais de quatro milhões de euros do clube encarnado. Por crimes de branqueamento de capitais, abuso de confiança e falsificação de documento esteve cerca de três anos preso e foi libertado em 2016. Mudou-se para Londres, onde a sua notificação para o início do novo julgamento tem de ser feita pelas autoridades britânicas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG