Supremo

Justiça condenou homem errado por tráfico de droga

Justiça condenou homem errado por tráfico de droga

Cidadão estrangeiro foi vítima de roubo de identidade em 2009, em Lisboa. Juízes do Supremo confirmam o erro e mandam rever a sentença.

Um estrangeiro que esteve imigrado em Portugal e, em 2017, regressou ao nosso país para duas semanas de férias foi notificado de que tinha sido condenado por tráfico de droga. Só que, à data do crime (2009), o arguido já morava há vários anos no Canadá. O homem, agora com 43 anos, recorreu e o Supremo Tribunal de Justiça reconheceu existirem "sérias dúvidas quanto à justiça da condenação", ordenando a revisão da sentença num novo julgamento.

De acordo com a sentença condenatória, no dia 2 de dezembro de 2009 um indivíduo foi apanhado pela PSP de Lisboa a vender canábis no seu automóvel, junto a um jardim. Naquele momento, apresentou uma Autorização de Residência Permanente, de setembro de 2008. No dia seguinte, mostrou um bilhete de identidade. Em ambos os documentos constava o nome do imigrante vítima do erro.

Leia mais na edição impressa ou na versão e-paper

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG