Crime

Ladrão em liberdade condicional roubou hotel de cinco estrelas no Porto

Ladrão em liberdade condicional roubou hotel de cinco estrelas no Porto

Toxicodependente saiu da cadeia a meio do ano passado, mas voltou, de imediato, à vida criminosa. Usava pistola e faca para ameaçar vítimas, foi detido e regressou à prisão

Um assaltante em liberdade condicional roubou, à mão armada, um hotel de cinco estrelas, situado na Avenida da Boavista, no Porto. Com 34 anos, o toxicodependente cometeu o crime no passado sábado, poucos dias depois de ter regressado de uma temporada passada em Inglaterra, país onde se refugiou na sequência de outros assaltos a estabelecimentos comerciais do Grande Porto. O assaltante foi detido, ainda na manhã do roubo, junto a uma tenda onde pernoitava, nas imediações do Bairro Pasteleira Nova.

Eram 5.15 horas da madrugada de sábado quando o indivíduo entrou pela porta principal do Crowne Plaza Hotel e dirigiu-se à receção. Encapuzado, rapidamente apontou uma pistola ao único funcionário de serviço e exigiu que lhe fosse entregue todo o dinheiro guardado no balcão. O rececionista obedeceu, recolheu algumas "centenas de euros" e deu-os, sem resistência, ao homem armado. Na posse da quantia monetária, este fugiu pelo mesmo local por onde tinha entrado.

Detido na tenda onde pernoitava

Dado o alerta, Polícia Judiciária e PSP começaram a procurar o suspeito pelas ruas da cidade e este seria localizado, por agentes da PSP, em pouco tempo. Estava numa tenda montada perto do bairro portuense Pasteleira Nova, que usava para pernoitar, e tinha na sua posse algum do dinheiro roubado. Ao final da manhã, foi detido pelos inspetores da PJ, levado ao tribunal e, concluído o primeiro interrogatório judicial, colocado em prisão preventiva.

Para esta decisão contribuiu o facto de o detido ainda estar a beneficiar de liberdade condicional, após ter cumprido uma pena de prisão, igualmente, por roubos. Saiu da cadeia a meio do ano passado e terá voltado, suspeitam as autoridades, aos roubos. Um a uma tabacaria e outro a uma pizaria, mas ambos com o mesmo método e com a utilização de uma arma de fogo.

Após estes roubos rumou, em novembro do ano passado, a Inglaterra, onde permaneceu os últimos dois meses e meio. Regressou ao Porto há poucos dias e continuou a cometer crimes para alimentar o vício da droga. É suspeito de ter usado uma faca para assaltar, no passado dia 16, uma farmácia.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG