Premium

Lâminas de barbear usadas como armas nas cadeias

Lâminas de barbear usadas como armas nas cadeias

Há casos de ataques a guardas prisionais e a reclusos. Sindicato exige medidas para resolver situação desvalorizada pelas autoridades.

Sandro Bernardo, o homem de 32 anos suspeito de matar a própria filha, Valentina, tentou suicidar-se com uma lâmina de barbear fornecida pela própria cadeia, quando estava, em isolamento, numa cela da prisão de Lisboa. Sobreviveu à automutilação, mas para o Sindicato Nacional do Corpo da Guarda Prisional (SNCGP) as lâminas das giletes são autênticas armas, que tanto podem ser utilizadas em tentativas de suicídio, como em ataques a outros presos ou mesmo a guardas prisionais. Um caso de ataque contra uma guarda aconteceu recentemente, no Estabelecimento Prisional de Coimbra.

O sindicato exige, por isso, medidas para "reduzir ou evitar" situações deste género, mas para a Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP) e para a Inspeção-Geral dos Serviços de Justiça (IGSJ) "não se justifica" qualquer intervenção, uma vez que são "muito pouco frequentes os casos em que estas lâminas são convertidas em armas artesanais".

Outras Notícias