Tribunal

Libertado o homem que matou cães a tiro em Palmela

Libertado o homem que matou cães a tiro em Palmela

Um homem de 31 anos que foi detido na terça-feira, em Palmela, por violência doméstica e maus-tratos a animais de companhia foi libertado esta quarta-feira pelo Tribunal de Setúbal.

O Juiz de Instrução Criminal aplicou ao suspeito as medidas de coação de apresentações periódicas semanais à esquadra da sua residência, proibição de contacto com a ofendida, proibição de frequentar ou aceder a casa da mesma e proibição de ter animais de companhia. O homem está indiciado de um crime de violência doméstica agravado e 20 crimes de maus-tratos a animais, apurou o JN.

Na terça-feira, a GNR encontrou na casa do arguido, na Quinta do Anjo, três cadáveres de cães da raça potencialmente perigosa American Bully que, de acordo com testemunhos recolhidos por aquela força de segurança, foram mortos a tiro pelo suspeito, cujo revolver utilizado foi apreendido pelas autoridades, bem como chumbos de 4,5 mm. A GNR encontrou ainda 16 cães (11 crias e cinco adultos) que o suspeito mantinha em casa para venda. A Guarda apurou que o homem não tinha habilitação ou certificação para a venda dos animais.

A queixa chegou às autoridades pela ex-companheira, de 42 anos, de quem o homem estava separado há poucas semanas. À GNR, além de ter denunciado a criação ilegal de cães potencialmente perigosos, a vítima disse ser alvo de agressões físicas e psicológicas, e perseguida no local de trabalho há três anos.

Os 16 animais foram entregues a um familiar do arguido, que se declarou fiel depositário. Durante a investigação, os animais não podem ser vendidos nem adotados, e têm de ser bem cuidados. Os cadáveres enterrados no quintal foram encaminhados para a Faculdade de Medicina Veterinária de Lisboa, para serem sujeitos a necropsia, que determinará a causa da morte.

Outras Notícias