Escutas

Líder do Novo Banco nega ter preparado Vieira para manipular comissão de inquérito

Líder do Novo Banco nega ter preparado Vieira para manipular comissão de inquérito

António Ramalho, o presidente executivo do Novo Banco, nega ter preparado Luís Filipe Vieira para instrumentalizar a Comissão Parlamentar de Inquérito sobre as perdas da instituição bancária. As suspeitas sobre a alegada tentativa de manipulação dos deputados na comissão estão plasmadas no processo da Operação "Cartão Vermelho" e são suportadas com escutas telefónicas.

Depois da CNN Portugal ter noticiado a existência de uma interseção telefónica de 28 de abril de 2021, em que António Ramalho sugere que vai estar com Luís Filipe Vieira para o preparar para a audição que ia ter no Parlamento, o líder do Novo Banco negou, esta sexta-feira à noite, qualquer tipo de manipulação.

PUB

"Venho aqui repor a verdade. Estive duas vezes na minha vida com o Senhor Luís Filipe Vieira. Uma num almoço no Benfica e outra numa reunião, dias antes, da audição dele. Foi uma reunião rápida. Estava o responsável pela Promovalor [empresa devedora de Vieira]. A reunião teve dois objetivos. Um era dizer-lhe [a Vieira] que o banco estava disponível para o esclarecer naquilo que fosse necessário. O outro era pedir-lhe que não fosse lá fazer cenas do tipo que não se recorda, que não se lembra, que não se recorda", disse Ramalho.

Luís Filipe Vieira, que viria a ser detido em julho, foi à Comissão Parlamentar de Inquérito a 11 de maio. "Reuni com ele a 3 de maio, mas não foi para instrumentalizar a Comissão de Inquérito, nem para preparar o senhor Luís Filipe Vieira", garantiu, esta sexta-feira à noite, António Ramalho.

Num relatório intercalar do inspetor tributário Paulo Silva, investigador da Operação Cartão Vermelho, estão transcritas escutas em que Ramalho comenta com Vítor Fernandes, o ex-administrador do Novo Banco que chegou a ser apontado na presidência do Banco de Fomento, que irá estar com o presidente do Benfica para o preparar para a audição na Comissão de Inquérito.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG