Balanço

Lista de pedófilos aumenta e já vai em 5416 registos

Lista de pedófilos aumenta e já vai em 5416 registos

Uma carta deixada nas caixas de correio do Bairro da Fonte da Moura, no Porto, em junho, alarmou pais e encarregados de educação.

"Procuro os filhos que nunca pude ter - gostaria de ter vários amigos novinhos, até aos 16 anos de idade, que possa acarinhar regularmente e ajudar a criar e a educar sem as mentiras nem a hipocrisia dos adultos, nomeadamente (mas não só) meninos e rapazes humildes que são mais simples, gratos e calorosos, tal como eu, e principalmente aqui em Aldoar ou então em Ramalde, Nevogilde ou na Foz", lia-se na missiva.

A comunidade logo tentou descobrir o paradeiro do autor do documento, mas nenhum dos moradores daquele bairro portuense pôde consultar - por impossibilidade legal - o Registo de Condenados por Crimes Sexuais Contra Crianças (RCCSCC), conhecido por "lista de pedófilos", e confirmar se algum pedófilo se tinha mudado recentemente para o Bairro da Fonte da Moura.

Mas, caso o conseguissem fazer, iam encontrar uma listagem com 5416 nomes, 155 dos quais acrescentados ao longo do primeiro semestre deste ano. Dados do Ministério da Justiça, fornecidos ao JN, revelam que a lista de pedófilos aumentou relativamente a 2018, ano em que, por esta altura do calendário, havia 5252 pessoas inscritas na lista negra. "No ano de 2018, foram criados 298 novos registos", avança o Ministério tutelado por Francisca Van Dunem. Em 2017, o número de pedófilos identificados pelas autoridades era de 5487, mais 1100 do que em 2016.

Ler mais na edição impressa ou no epaper