Crime

Madrasta de Valentina isolada 15 dias na cadeia de Tires

Madrasta de Valentina isolada 15 dias na cadeia de Tires

Márcia Bernardo, 38 anos, madrasta de Valentina, morta em Atouguia da Baleia, ficou em prisão preventiva no Estabelecimento Prisional de Tires, onde vai ficar durante 15 dias em isolamento, para observação, afastada da restante população prisional. Já o pai, Sandro, vai para a cadeia anexa à PJ em Lisboa.

De acordo com informações recolhidas pelo JN, Sandro Bernardo vai aguardar julgamento em prisão preventiva no estabelecimento prisional situado junto do edifício sede da Polícia Judiciária, em Lisboa. Esta cadeia permite manter o indivíduo sem segurança e numa cela individual.

Segundo o jornal digital Cascais24, que cita fonte prisional, encontram-se atualmente em Tires, em cumprimento de pena, Rosa Grilo e Diana Fialho, outras mulheres condenadas por homicídio, que simularam os desaparecimentos das vítimas, a primeira do marido e a segunda da mãe adotiva.

Sandro, pai de Valentina, e Márcia vão ficar em prisão preventiva, decidiu, esta quarta-feira, o juiz de instrução criminal do tribunal de Leiria.

A madrasta da menina está indiciada por homicídio qualificado por omissão e dolo eventual. Sandro é suspeito por homicídio qualificado e violência doméstica. Ambos estão indiciados por profanação de cadáver, em coautoria.

A decisão foi lida esta manhã por uma funcionária judicial, após os dois arguidos terem abandonado o tribunal de Leiria em veículos da Polícia Judiciária.

Valentina foi agredida durante quatro dias antes de morrer às mãos dos últimos violentos maus-tratos infligidos pelo pai, na última quarta-feira, em Peniche. A madrasta terá contribuído para o clima de tensão entre pai e filha porque não queria aquela criança dentro de casa, onde já viviam os seus três filhos.

Desde o domingo anterior que Valentina andava a ser agredida pelo pai. A autópsia revelou que a criança de nove anos tinha múltiplas lesões anteriores ao dia do crime, faz hoje precisamente uma semana. Foram várias pancadas em diversas partes do corpo, as quais o pai designava como "punições" e "correções".

Ao que o JN apurou, Márcia, que já tinha duas crianças em comum com Sandro - uma bebé e um rapaz de quatro anos, além de outro filho de 12 anos, só dela -, não suportava a presença de Valentina em casa, na Atouguia da Baleia, Peniche. As várias semanas de confinamento obrigatório terão aumentado as tensões latentes e Márcia pressionaria Sandro para que a filha dele saísse daquela casa.

Outras Notícias