Ministério Público

Mulher que escondeu fetos na mala do carro em Espinho acusada de homicídio

Mulher que escondeu fetos na mala do carro em Espinho acusada de homicídio

A mulher que em janeiro de 2020 escondeu os fetos dos dois filhos recém-nascidos num carro, em Espinho, está indiciada pelo Ministério Público de dois crimes de homicídio qualificado e profanação de cadáver.

De acordo com nota do Ministério Público (MP) "foram recolhidos indícios suficientes de que a arguida, encontrando-se grávida sem o desejar, decidiu ocultar o seu estado e manter a gravidez sem qualquer acompanhamento médico".

Adianta que a mulher, na altura com 25 anos, entrou em trabalho de parto na casa onde vivia, em Espinho, dando à luz duas crianças com vida, entre as 35 e as 36 semanas de gestação.

Recém-nascidos "aos quais não prestou, ou solicitou que fossem prestados, quaisquer cuidados imediatamente após o nascimento". "Ao invés, na execução do que já antes tinha planeado, não estimulou o choro, não tentou desimpedir-lhes as vias aéreas, antes as embrulhou e impediu de respirar, acabando por causar as suas mortes".

Ainda de acordo com a MP, a arguida colocou as duas crianças num saco, no interior da mala do automóvel que utilizava habitualmente, "com o propósito de posteriormente as levar para outro local e se desfazer dos seus corpos, o que não veio a acontecer em virtude de terem sido encontradas por um terceiro que alertou as autoridades".

Aquando dos acontecimentos, o JN apurou que o primeiro feto terá sido descoberto pelo pai da mulher quando fazia limpeza da mala do carro, na Rua 62 e que, incrédulo com o achado, o levou para dentro de casa e alertou de seguida as autoridades.

Já o segundo foi encontrado, mais tarde, pelos agentes da PSP, "envolvido pela placenta e peças de roupa", como viria a informar o Comando de Aveiro, em comunicado.

PUB

Os fetos foram depois entregues no gabinete do Instituto de Medicina Legal, tendo sido transportados para o efeito pelos Bombeiros Voluntários dos Carvalhos.

A gravidez seria desconhecida do pai da mulher e do companheiro de quem tem duas filhas menores.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG