Pandemia

Mais de quatro mil cidadãos controlados após reposição de fronteiras com Espanha

Mais de quatro mil cidadãos controlados após reposição de fronteiras com Espanha

Mais de quatro mil cidadãos foram controlados nos oito postos de passagem autorizados (PPA), durante as primeiras 24 horas após a reposição temporária de controlo nas fronteiras com Espanha, anunciou esta segunda-feira o Ministério da Administração Interna.

Em comunicado, o gabinete do ministro Eduardo Cabrita precisa que foram controladas 4020 pessoas, das quais 99 foram impedidas de circular pelos pontos de passagem autorizados, num total de 2.841 viaturas fiscalizadas.

O PPA de Vilar Formoso foi o mais movimentado nas primeiras 24 horas, com 1.142 pessoas controladas e 23 impedidas de prosseguir viagem, seguido de Valença (744), Vila Verde da Raia (687), Caia (643), Quintanilha (333), Castro Marim (312), Vila Verde de Ficalho (103) e Marvão (56).

Castro Marim foi o PPA onde mais pessoas foram impedidas de seguir rumo ao seu destino (33), mais 10 do que em Vilar Formoso e Vila Verde da Raia (23), seguidos de Valença e Caia (6), Marvão (4), Quintanilha (3) e Vila Verde de Ficalho (1).

Nos pontos de passagem não autorizados, foram reencaminhadas 34 viaturas para os PPA, de acordo com o comunicado do MAI.

Além dos oito PPA permanentes, existem cinco outros pontos que funcionam apenas nos dias úteis entre as 7 e as 9 horas e entre as 18 e as 20 horas, nomeadamente em Monção, Miranda do Douro, Termas de Monfortinho, Mourão e Barrancos.

Em Rio de Onor é possível passar a fronteira entre Portugal e Espanha às quartas-feiras e sábados entre as 10 e as 12 horas.

PUB

A reposição temporária do controlo de pessoas nas fronteiras com Espanha enquadra-se nas medidas de contenção da pandemia de covid-19 que entraram em vigor às 0 horas de domingo.

Na quinta-feira, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, decretou pela décima vez a renovação do estado de emergência em Portugal e, no mesmo dia, o Conselho de Ministros aprovou um conjunto de medidas a vigorar até 14 de fevereiro para conter a evolução da covid-19.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG