Estado de emergência

Mais seis detidos por desobediência. São 90 no total

Mais seis detidos por desobediência. São 90 no total

A GNR e a PSP detiveram, nas últimas 24 horas, mais seis pessoas por desobediência às normas do estado de emergência. Desde 22 de março, foram detidos 90 cidadãos, uma parte dos quais por violar a proibição de sair de casa.

De acordo com o decreto que regulamenta o estado de emergência, estão obrigadas a permanecer na sua habitação pessoas infetadas com o novo coronavírus ou sob vigilância ativa das autoridades, por terem contactado com alguém naquela condição.

A generalidade dos cidadãos está, por sua vez, sujeita ao dever de recolhimento domiciliário, podendo circular na via pública apenas para determinados fins, como ir ao supermercado, trabalhar ou passear o cão.

Entre 22 de março e as 18 horas desta quarta-feira, foram ainda "encerrados 1633 estabelecimentos por incumprimento das normas estabelecidas", informa, em comunicado, o Ministério da Administração Interna. São mais 33 do que no balanço anterior, efetuado na terça-feira.

Há uma semana e meia que está suspensa a atividade da generalidade dos espaços abertos ao público, à exceção de supermercados, mercearias, farmácias, bancos e bombas de gasolina, entre outros. Os restaurantes só podem vender refeições para fora.

"O Ministério da Administração Interna, perante a imperiosa necessidade de todos contribuírem para conter o contágio da Covid-19, insiste no cumprimento rigoroso das medidas impostas pelo estado de emergência", apela, na nota, a tutela.

Segundo o Código Penal, o crime de desobediência é punível com pena até um ano de prisão ou até 120 dias de multa.