Processo

Manuel Maria Carrilho absolvido de difamação

Manuel Maria Carrilho absolvido de difamação

Manuel Maria Carrilho foi absolvido do crime de difamação, num processo movido pelo advogado Pedro Reis, defensor de Bárbara Guimarães.

O advogado Pedro Reis exigia uma indemnização de dez mil euros por danos morais ao ex-ministro da Cultura, acusando-o de difamação por o ter insultado durante uma audiência.

A afirmação foi proferida por Manuel Maria Carrilho a 2 de abril de 2015. "A Bárbara meteu-se com um escroque (...), há um advogado, o Dr. Pedro Reis...Isto foi altamente planeado por um grupo de escroques, um advogado, um grande especialista na Lei do Divórcio, na qual colaborei", disse, perante a psicóloga do Instituto Nacional de Medicina Legal que lhe fazia uma perícia psicológica no âmbito do processo de regulação do poder paternal.

Questionada em tribunal, a psicóloga confirmou a afirmação proferida pelo arguido.

O advogado decidiu processá-lo por difamação por se sentir "indignadíssimo e revoltado" mas, no dia 14 de dezembro, o juiz Afonso Dinis Nunes decidiu absolve-lo.

No dia seguinte, o ex-ministro da Cultura foi igualmente absolvido do crime de violência doméstica.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG