Tribunal

Mata em negócio de droga e é condenado a 17 anos de prisão

Mata em negócio de droga e é condenado a 17 anos de prisão

Ilídio Barbosa, o homem de 45 anos que, em novembro do ano passado, matou um emigrante, de 35, durante uma discussão relacionada com uma dívida de droga, em Cete, no concelho de Paredes, foi condenado pelo Tribunal de Penafiel, esta segunda-feira, a uma pena de prisão de 17 anos e dois meses.

Para o Tribunal, ficou provado que Ilídio Barbosa, conhecido na zona pela sua ligação ao tráfico de droga, matou Nuno Rocha, por um motivo fútil. Na noite de 15 de novembro do ano passado, Nuno Sousa foi atraído até às proximidades da casa do homicida, localizada no Lugar do Monte, conotado com o consumo e tráfico de estupefacientes. Depois, um e outro envolveram-se numa discussão que acabou com Nuno Sousa a ser esfaqueado no coração.

Na noite do crime, Ilídio Barbosa pôs-se em fuga, tendo sido capturado no dia seguinte. No decorrer do julgamento, o homem negou o crime, chegando mesmo a dizer que Nuno Rocha o tentou assaltar e que o empurrou para se defender. Disse ainda que, quando abandonou o local, deixando aquele homem para trás, pensou que este estivesse a fingir de morto.

Contudo, o Tribunal não valorizou a versão apresentada e Ilídio Barbosa, que foi condenado a uma pena de 17 anos e dois meses de prisão pelos crimes de homicídio, coação simples e ofensas à integridade física.

Ilídio Barbosa ouviu a sentença por videoconferência, no estabelecimento prisional onde se encontra preso preventivamente.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG