Sporting

Mathieu sobre Alcochete: "Puseram-se em frente à porta e não podíamos sair"

Mathieu sobre Alcochete: "Puseram-se em frente à porta e não podíamos sair"

O jogador do Sporting Jérémy Mathieu lembrou esta segunda-feira o medo que sentiu quando o grupo de encapuzados entrou no balneário, na Academia de Alcochete, em 15 de maio de 2018 para agredir o plantel.

Através de videoconferência, contou que cerca de 30 entraram no espaço. "Três puseram-se em frente à porta e com eles lá não podíamos sair", disse o jogador, acrescentando que nenhum jogador tentou fugir. As agressões começaram imediatamente.

De acordo com a testemunha, os agressores perguntaram por William Carvalho, Rui Patrício, Battaglia e Acuna e "começaram a agredir quem eles queriam". Sem sofrer qualquer agressão, Mathieu viu Misic ser agredido com um cinto nas pernas e nas costas, bem como Acuna, alvo de socos na face por "dois ou três agressores".

"Senti muito medo do que estava a acontecer", respondeu à Procuradora do Ministério Público, negando por isso lembrar-se de ameaças de morte dirigidas aos jogadores. "Enquanto uns procuravam determinados jogadores, outros gritavam 'o Sporting somos nós'". Mathieu admitiu ainda ter visto "alguns que tentaram acalmar o restante grupo, mas a maioria estava fora de controlo e a participar nas agressões".