Violência

Médica agredida a soco na urgência fica com mão partida

Médica agredida a soco na urgência fica com mão partida

A mãe de uma criança que estava a ser atendida na urgência do Hospital de Águeda agrediu a soco a médica, de 33 anos, que estava a observar o filho, partindo-lhe a mão.

O caso, o terceiro em menos de um mês (ver cronologia), ocorreu na quinta-feira, cerca das 23 horas. A agressora, de 45, fugiu, sendo perseguida pelo segurança do hospital até ao estacionamento. Aí, foi o companheiro da agressora que ameaçou o funcionário. A mulher voltou pouco depois ao hospital, mas para preencher o livro de reclamações, no qual se queixou de ter sido mal atendida.

A vítima é uma médica moldava. Na quinta-feira, três horas depois de entrar ao serviço para fazer noite, atendeu um rapaz de nove anos acompanhado da mãe. Sabe o JN, com base em declarações da médica a colegas, que a consulta decorria normalmente até que a mãe a questionou sobre as causas do problema do filho, ao qual a médica respondeu que não sabia. Uma afirmação que não terá agradado à mulher, que a acusou de não saber nada. Face ao aumento da agressividade da mãe da criança, agravado pelo tempo que o computador demorou a imprimir a receita, a médica, antevendo o pior, dirigiu-se à porta e foi nessa altura que foi agredida com um murro. Para proteger a cara, meteu as mãos, acabando por sofrer uma fratura.

Ler mais na edição impressa ou na versão e-paper

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG