Justiça

Menina de oito anos assiste ao rapto do pai em Braga

Menina de oito anos assiste ao rapto do pai em Braga

A Polícia Judiciária do Porto está no terreno a tentar localizar o empresário que foi raptado por dois encapuzados armados, na noite de sexta-feira, em Lamaçães, Braga. O homem, de 43 anos, emigrante em França, foi atacado à entrada da garagem do prédio onde mora, na Avenida Dr. António Palha, à frente da filha, de oito anos.

Os raptores obrigaram a vítima, Paulo Jorge Fernandes, a entrar para um carro depois de o terem agredido a soco, cerca das 20.30 horas.

O empresário estava com uma filha, de oito anos, que ficou no local e recebeu assistência psicológica.

No chão ficaram vestígios de sangue. Foi a criança que, em pânico, se dirigiu à Farmácia de Lamaçães, no rés do chão do prédio, a pedir ajuda.

O empresário ainda terá tentado chamar um irmão por telemóvel, mas os raptores impediram-no. O carro da vítima ficou no local e os encapuzados levaram-no na viatura em que se deslocavam.

Pouco depois, chegaram em força a PSP, o INEM e a Polícia Judiciária, tendo esta última escutado a versão da menina, enquanto um psicólogo dava assistência à criança e aos familiares da vítima.

No local, o sogro do empresário disse ao JN que a filha estava separada de Paulo Jorge, mas que as relações entre ambos eram cordiais. "Ele vem a Braga de 15 em 15 dias para estar com a minha neta", disse, frisando que o considera como a "um filho". O sogro não vislumbra qualquer explicação para o rapto.

A investigação está a cargo da Polícia Judiciária do Porto, que mobilizou elementos da secção de combate ao banditismo.