Investigação

Menino de Chaves apresenta melhoras e já bebe do biberão

Menino de Chaves apresenta melhoras e já bebe do biberão

Bebé saiu dos cuidados intensivos, mas continua em estado grave. Não tem sinais de outras lesões.

O menino de quatro meses, transferido de urgência do hospital de Chaves para o Hospital S. João (Porto), após quase três semanas de luta pela vida, saiu dos cuidados intensivos e já apresentará algumas melhoras, embora o prognóstico se mantenha "muito reservado".

A criança continua sob constante vigilância da equipa de especialistas pediátricos, mas terá evidenciado melhoras, designadamente respiratórias e de consciência, tendo sido transferida para o serviço de pediatria.

PUB

Mãe e padrasto negam

Segundo fonte familiar, a mãe, Beatriz - sob quem recaem suspeitas de ter abanado o menino com violência, provocando-lhe uma extensa hemorragia cerebral - tem sido presença constante no hospital e "até foi autorizada a dar-lhe o biberão". A fonte adiantou que, "embora pouco, já reage à presença da Beatriz".

Recorde-se que foi o próprio Hospital de S. João, após confirmar que o bebé apresentava a "síndrome de bebé abanado", que avisou a Comissão de Proteção de Crianças e Jovens e o Tribunal de Chaves para a possibilidade daquele trauma ter sido provocado por "sacudidelas violentas", o que poderá significar maus-tratos.

A suspeita mantém-se, mas mãe e companheiro negam. Embora sem afastar tal eventualidade, uma perícia solicitada ao Instituto de Medicina Legal adianta outras possibilidades como um abanão acidental ou mesmo uma queda da mãe durante a gravidez.

Por outro lado, estarão definitivamente afastadas outras hipotéticas lesões provocadas ao menino.

Segundo fonte dos serviços de saúde de Chaves, Beatriz levou o menino à urgência daquele hospital transmontano, queixando-se que "ele chorava muito, perdia a consciência e tinha convulsões", quadro que foi rapidamente comprovado e que ditou a sua transferência urgente para o Porto.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG