Exclusivo

Ministério Público pede julgamento de fonte anónima de jornalista

Ministério Público pede julgamento de fonte anónima de jornalista

Ex-funcionário de empresa gestora de resíduos hospitalares foi processado por vogal da APA após "Sexta às 9" denunciar licenciamento "relâmpago".

O Ministério Público (MP) quer levar a julgamento, por difamação agravada, um homem que nega ter sido a fonte de um programa televisivo, "Sexta às 9", que noticiou, em 2017, um alegado favorecimento da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) a Ambimed, empresa que gere resíduos hospitalares.

O arguido, Adelino Mota, saiu da Ambimed em 2014 e garante que está inocente. O seu "inferno" começou na RTP1, em 19 de maio de 2017. Nesse "Sexta às 9", a jornalista Sandra Felgueiras fala "num processo relâmpago" que licenciou um incinerador de resíduos hospitalares perigosos à Ambimed. Quem licenciou foi a APA, contrariando pareceres da Direção Geral da Saúde e do próprio secretário de Estado da Saúde, na altura Manuel Teixeira. Várias pessoas deram a cara no programa, apontando perigos àquele incinerador e dizendo que seria "desnecessário" e ficaria "a maior parte do tempo parado". A finalidade seria, alegadamente, permitir à empresa a importação de lixos perigosos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG