Crime

Morto a tiro em Setúbal era de Cabo Verde e vivia em Portugal há três anos

Morto a tiro em Setúbal era de Cabo Verde e vivia em Portugal há três anos

O homem morto com dois tiros durante uma festa ilegal em Setúbal na manhã de domingo era natural de Cabo Verde e residia em Queluz. Tinha cerca de 30 anos, era conhecido por "Já" e deixa uma filha. Nasceu na Ilha de Santiago, mudou-se para Portugal há cerca de três anos e chegou a morar em Coimbra, antes de se mudar para a capital. O suspeito permanece em fuga até à tarde desta segunda-feira.

O homem morreu baleado com dois tiros, um que atingiu o braço e outro no peito. Na origem do crime estará uma discussão já no final de um aniversário celebrado no espaço que funcionava como uma discoteca improvisada. A festa decorreu na encosta da Bela Vista, numa zona onde vários moradores possuem hortas localizadas entre o bairro Azul e o porto de Setúbal.

Os ajuntamentos neste local eram recorrentes desde o início da pandemia, em março de 2020, e eram já do conhecimento das autoridades. Os difíceis acessos ao local tornam o espaço ideal para ajuntamentos que atraem pessoas de toda a região de Setúbal para consumo de droga e álcool.

O alerta foi dado às oito horas e ao local acorreu a PSP. O suspeito colocou-se em fuga e até à tarde desta segunda-feira, não eram conhecidas quaisquer detenções. A denúncia às autoridades dava conta de um ajuntamento com dezenas de pessoas desde a noite de sábado que saíram do espaço após o crime.

Ao redor do local do crime, inúmeras garrafas de cerveja, de bebidas brancas, vinho ou latas de conhecidas marcas de bebidas energéticas estavam espalhadas pelos terrenos em terra batida, sinal das festas recorrentes. Algumas garrafas estavam já enterradas devido às torrentes de lama provocadas pela chuva.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG