Terras de Bouro

Suspeita de atear fogo no Gerês vai ficar em prisão domiciliária

Suspeita de atear fogo no Gerês vai ficar em prisão domiciliária

Uma mulher foi detida por suspeitas de ter ateado um fogo numa área protegida do Parque Nacional da Peneda-Gerês, na última terça-feira, em Terras do Bouro. A suspeita fica a aguardar julgamento em prisão domiciliária, após ter sido ouvida esta tarde pelo juiz de instrução criminal no Palácio da Justiça de Vila Verde.

Segundo a PJ de Braga, a arguida, com 57 anos de idade, doméstica, reside na freguesia onde ateou o incêndio, utilizou um artefacto retardante da ignição, tendo sido recolhidos substanciais elementos de prova, que conduziram à detenção da suspeita pelo fogo posto.

Fonte da PJ adiantou à agência Lusa que a a mulher vai ficar provisoriamente num estabelecimento prisional, até serem instalados, na sua habitação, os mecanismos necessários para a prisão domiciliária, com vigilância eletrónica.

O local onde o incêndio teve início é uma zona de difícil acesso, sendo que, segundo a PJ de Braga, existia risco de propagação à vasta mancha florestal envolvente, o que se traduz num elevadíssimo perigo concreto para as pessoas, para os bens e para o ambiente, em particular para a área protegida em apreço.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG