Paredes

Mulher estrangulada após acionar botão de pânico

Mulher estrangulada após acionar botão de pânico

Vítima continuou a viver com o agressor após ter apresentado queixa. GNR encontrou arma com bala na câmara e pronta a disparar.

Uma vítima de violência doméstica apresentou queixa contra o marido, recebeu um botão de pânico por parte das autoridades e regressou, silenciosamente, a casa da família. Foi novamente agredida e ameaçada de morte, acionou a teleassistência e o barulho do aparelho permitiu ao agressor descobrir que tinha sido denunciado. A mulher, de 54 anos e residente em Paredes, seria salva pela GNR na noite em que foi alvo de uma tentativa de estrangulamento.

O casamento durava há décadas, mas o cenário de violência piorou no último ano. Alcoólico, o homem de 54 anos sujeitava a esposa a episódios violentos sempre que bebia em excesso. Além dos insultos e ameaças de morte com facas e armas de fogo, o indivíduo agredia a mulher que, cansada dos maus tratos, apresentou queixa no final do ano passado. Fê-lo na GNR, mas já no final do depoimento admitiu que estava disposta a perdoar o marido e a aceitar que o processo fosse temporariamente suspenso.

O agressor nunca soube da ida da esposa ao posto da GNR, nem que esta tivesse sido incluída, na primeira semana de janeiro, no sistema de proteção de teleassistência e recebido um botão de pânico para usar em situações de emergência. Tudo continuou a decorrer, por esse motivo, como até ali e a violência manteve-se. No final da semana passada, mulher voltou a ser agredida e acionou o botão de pânico, fazendo com que as técnicas do serviço de teleassistência tentassem o contacto através do aparelho. A vítima manteve-se em silêncio, mas o som que saía do botão de pânico alertou o agressor que, furioso, tentou estrangular a esposa.

Nesta altura, o serviço de teleassistência acionou a GNR, que se dirigiu, de imediato, à habitação do casal, mas ninguém respondeu à chamada da patrulha. Só perante a insistência dos militares do Núcleo de Investigação e Apoio a Vítimas Especificas de Penafiel, entretanto acionados, é que o homem abriu a porta e libertou a vítima. Nas buscas que se seguiram, a GNR apreendeu uma pistola transformada com uma bala na câmara e pronta a disparar, assim como um bastão extensível. Também deteve o indivíduo que, após passar pelo tribunal, ficou obrigado a usar uma pulseira eletrónica para não se aproximar da esposa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG