Exclusivo

Nove anos de prisão por violar enteada menor e deficiente

Nove anos de prisão por violar enteada menor e deficiente

Supremo Tribunal condena homem que se aproveitou de ficar sozinho com a enteada, de 15 anos, para abusar dela.

Um homem, de 52 anos, foi condenado pelo Tribunal de Elvas a nove anos de prisão, por quatro crimes de violação. A vítima, de 15 anos, era enteada do suspeito e portadora de deficiência mental. O arguido recorreu da sua condenação, mas, recentemente, o Supremo Tribunal de Justiça confirmou a pena de prisão e ainda elevou a indemnização a pagar à vítima.

O arguido juntou-se com a mãe da menina em 2002. A criança tinha então dois anos e, a partir daí, passou a tratá-lo como se fosse seu pai. Em maio e junho de 2016, a mãe da menina frequentava um curso de formação profissional durante todo o dia. Por causa da deficiência, aos 15 anos, a menor ainda não sabia ler nem escrever e apenas contava até 10. Passava um dia na escola e quatro dias numa instituição de segurança social. Durante as férias escolares, o arguido, que trabalhava à noite, ficava a tomar conta da menina e do irmão, mais novo, que era filho do arguido e da companheira.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG