Apanhado

O que sabemos sobre o pedófilo português em fuga há 17 anos

O que sabemos sobre o pedófilo português em fuga há 17 anos

O pedófilo português que conseguiu fugir às autoridades durante 17 anos e foi, esta semana, capturado em Espanha, chama-se José Soares e abusou de uma menina de 9 anos ao longo de, pelo menos, um ano.

Segundo o site noticioso "Cascais 24", José Soares, de 79 anos, é um antigo colaborador da Fundação Luso-Americana e ex-docente da Escola Superior de Comunicação Social.

A aproximação à criança foi facilitada por relações profissionais e pessoais que mantinha com os pais da menina. Hoje, assegura a mesma fonte, a jovem sofre de "descontrolos psicológicos".

Foi em 1998 que começou a ser investigado pela Polícia Judiciária. Durante o julgamento, contou com Rui Machete e com o padre Vítor Melícias como testemunhas abonatórias, avança o mesmo site.

O Tribunal de Cascais deu como provado o crime de abuso sexual e condenou-o a uma pena de três anos e oito meses de prisão. Mas, depois de condenado, o advogado de defesa recorreu do acórdão para o Supremo Tribunal de Justiça, o que lhe permitiu manter-se em liberdade, depois de, ainda na fase de investigação o então juiz de Instrução Criminal de Cascais, Paulo Nunes, ter-lhe aplicado uma caução de 40 mil euros. José Soares acabaria por fugir do Monte Estoril, onde morava, para Espanha, onde viveu, sob identidade falsa ao longo de 15 anos.

Foi quando o fugitivo tentou obter uma carta de condução espanhola que as autoridades do país vizinho descobriram que possuía documentos falsos e que sobre ele pendia um mandado de captura europeu.

Através de reconhecimento facial e das impressões digitais, constatou-se que o homem estava em fuga desde 2002. Em Espanha irá responder por falsificação de documentos, sendo também avaliada a extradição para Portugal para cumprir a pena pendente.