O Jogo ao Vivo

Alcochete

Obrigou William de Carvalho a tirar a camisola mas garante que não o agrediu

Obrigou William de Carvalho a tirar a camisola mas garante que não o agrediu

Miguel Ferrão, que entrou no primeiro grupo no balneário da Academia de Alcochete, confessou aos juízes do Tribunal de Monsanto que exigiu a William de Carvalho que tirasse a camisola, negando, ainda assim, ter agredido o jogador.

Embora admita que, nas conversas de Whatsapp, afirmou que queria bater ao futebolista, garantiu que só se dirigiu a William de Carvalho porque foi a primeira pessoa que viu ao entrar no balneário, ainda Bas Dost não tinha sido agredido.

"Falei com ele, agarrei-o pelo braço e disse-lhe que não era digno de vestir a camisola do Sporting". Nesse momento, como refere, Coates agarrou-o e perguntou o que estava a fazer. "Respondi que sabia que as coisas não deviam ser daquela forma e depois virei-me novamente para William, que me disse que ia tirar a camisola, mas precisava de falar com o Valter". "Depois saiu e nunca mais o vi".

William de Carvalho disse, no seu depoimento, que um dos encapuzados lhe torceu o braço, exigindo que tirasse a camisola. Depois, foi agredido com socos pelos encapuzados e libertou-se com a ajuda de colegas, fugindo para a casa de banho. "Puseram-me o braço atrás das costas, pediram para tirar a camisola e deram-me socos no peito e nas costas", explicou o jogador, referindo ter sido rodeado por quatro encapuzados.

Manuel Ferrão negou, contudo, qualquer agressão. "Estava encapuzado para pressionar os jogadores, afinal o meu objetivo era apenas esse, ir ao treino para pressionar os jogador e chamar a atenção perante a falha dos objetivos".

Após a "conversa" com William de Carvalho, saiu do balneário, negou ter visto Jorge Jesus e fugiu da Academia. "Nunca pensei que causasse este dano psicológico aos jogadores e lamento por ter estado na Academia, foi um erro enorme e agora percebo que não tinha o direito de pedir justificações aos jogadores".

A juíza Sílvia Pires criticou a postura dos arguidos que foram a tribunal esta sexta-feira. "Parece que nenhum de vocês fez nada, só aqueles que se remeteram ao silêncio".

Outras Notícias