Sentença

Ofereceu 30 mil euros a guarda para escapar a crime de violência doméstica

Ofereceu 30 mil euros a guarda para escapar a crime de violência doméstica

Um homem de 70 anos foi condenado por tentar subornar, com uma quantia entre os 20 mil e os 30 mil euros, o militar da GNR que o deteve no âmbito de uma investigação por violência doméstica.

Ao aliciar o guarda, o septuagenário pretendia ser libertado sem qualquer penalização, mas agora viu o Tribunal de Amarante aplicar-lhe uma pena de 26 meses de prisão, suspensa pelo mesmo período desde que cumpra um plano de readaptação social. O mesmo tribunal absolveu o arguido do crime de violência doméstica, porque, com o silêncio da vítima durante o julgamento, não ficou provado que a mulher foi insultada e ameaçada ao longo de 45 anos de casamento.

A.S. casou em 1973 e, no ano seguinte, foi pai de um menino. Nessa altura, sustentava o Ministério Público, já revelava "uma personalidade muito autoritária e possessiva", que levava a que insultasse regularmente a esposa. Esta também seria, lê-se na acusação, alvo de ameaças de morte, muitas vezes com recurso às armas que o marido usava para caçar. "O arguido, diariamente, e várias vezes durante o dia, apelidava [a esposa] de "deficiente", "porca" e "maluca", dizendo-lhe ainda: "está tola da cabeça e tem que se ir tratar", "que não presta para nada e que não anda cá a fazer nada".

Ler mais na edição impressa ou epaper.