Alerta

Orçamento da PJ perde 100 milhões em dez anos

Orçamento da PJ perde 100 milhões em dez anos

Os Orçamentos da Polícia Judiciária perderam, ao longo dos últimos dez anos, 100 milhões de euros. A alerta é da Associação Sindical dos Funcionários de Investigação Criminal da PJ (ASFIC/PJ) para quem as previsões orçamentais do Estado para 2021 não irão satisfazer as necessidades urgentes da instituição.

"O orçamento da PJ de 2020 para aquisição de bens e serviços foi de 119 milhões de euros, quando a estimativa apresentada pela Direção Nacional da PJ era de 149 milhões. A previsão para o Orçamento de Estado 2021 é de 125 milhões, continuando assim deficitário em 24 milhões de euros", adiantam os sindicalistas da PJ, em comunicado enviado ao JN.

Para a ASFIC, "o trabalho na PJ não pode continuar refém de uma descapitalização escondida que, nos orçamentos dos últimos dez anos, retirou mais de 100 milhões de euros a quem investiga a corrupção, o terrorismo, a cibercriminalidade e tantos outros crimes que hipotecam o presente e o futuro de Portugal".

A falta de meios humanos é apontada como uma das mais graves carências da PJ que, segundo a ASFIC, apenas admitiu 156 inspetores em seis anos. "Basta ter em conta que em 2000, o quadro de funcionários da PJ previa a existência de 1945 Inspetores e no início de 2020 existiam somente 962. Um saldo negativo de 1000 Inspetores", garantem.

Os sindicalistas lembram que, ao contrário de outras instituições, a PJ não tem possibilidade legal de recorrer a fontes de financiamento através de multas, licenças ou vistos e por isso, apresentaram uma proposta ao governo no sentido de poder receber uma percentagem do produto das apreensões que realiza, isso "após devida apreciação judicial e trânsito em julgado".

Outras Notícias