Vila Real

Padre envia foto de sexo a meninas no Facebook

Padre envia foto de sexo a meninas no Facebook

Um padre admitiu ter enviado, através do Facebook, fotos do próprio pénis a meninas, com 10 e 13 anos, garantindo, porém, desconhecer a idade delas.

Mas o argumento que invocou junto do Tribunal da Relação de Guimarães (TRG), onde recorreu após ter sido condenado pelo Tribunal de Bragança a 20 meses de cadeia, não colheu e o padre de Vila Real viu a sentença confirmada.

O padre foi afastado pela Igreja, que o suspendeu logo após a condenação em Bragança. O arguido exerceu o cargo de educador, sendo responsável por acompanhar adolescentes e jovens candidatos no seminário.

Foi entre setembro e outubro de 2013, que o padre Pedro Luís Vilela Ribeiro, ordenado cerca de dois anos antes, estabeleceu contacto com as crianças através do Facebook. As menores estavam institucionalizadas, numa organização no Norte do País, onde tinham acesso à Internet.

Segundo o acórdão dos juízes de Bragança, onde o padre foi condenado em primeira instância, em fevereiro deste ano, "valendo-se do relacionamento que fortaleceu através dos contactos que mantinha com tais crianças pela Internet, o arguido passou a tratar as mesmas de forma íntima e sexualizada, propondo-lhes que trocassem ficheiros com fotografias suas".

Em meados de outubro, o padre enviou para a mais velha das menores uma foto do pénis, após ter recebido uma imagem da menor. Depois do envio, o arguido perguntou-lhe: "Imagina o que é. O meu!!! Pénis", escreveu o arguido através da rede social Facebook.

No dia seguinte, o padre "voltou a contactar a mesma menor através do mesmo programa informático e, no decurso da conversa, pergunta-lhe ainda, segundo o acórdão do TRG: "Pila para ti, queres."

A mais nova das crianças foi abordada um mês antes, durante o início da tarde de 22 de setembro. Perguntou-lhe se estava sozinha e queria saber como ela estava vestida. Acabaria por lhe mandar uma foto das suas pernas para depois lhe enviar uma do órgão genital.