Premium

Pai de Marlon: "Tem de haver responsáveis pela morte do meu filho"

Pai de Marlon: "Tem de haver responsáveis pela morte do meu filho"

Pais de Marlon Correia, universitário assassinado durante assalto no Queimódromo do Porto em 2013, responsabilizam FAP e empresa de segurança por desfecho fatal.

Os pais de Marlon Correia, o estudante universitário de 24 anos morto a tiro durante um assalto à tesouraria do Queimódromo, em maio de 2013, exigem à justiça que a Federação Académica do Porto (FAP) e a empresa de segurança SPDE sejam responsabilizadas pela morte do jovem. Numa ação intentada no Tribunal Cível do Porto reclamam 220 mil euros. Segunda-feira, no final do julgamento, Jacinto Correia, pai de Marlon, disse ao JN que irá até às últimas consequências na Justiça. "Tem de haver responsáveis pela morte do meu filho", explicou.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG