Porto

"Parece que me estou a afogar na baba", disse homem que morreu após cirurgia

"Parece que me estou a afogar na baba", disse homem que morreu após cirurgia

Irmã e amiga relataram em tribunal alertas de dores e falta de ar de doente que morreu após duas operações.

O julgamento de três médicos e uma enfermeira pela morte de um homem de 32 anos, em 2010, na sequência de uma dupla cirurgia às amígdalas e à tiroide, na Ordem de São Francisco, no Porto, ficou marcado por dois testemunhos que garantiram que o doente se queixou de dores e de falta de ar após sair do recobro.

Ana Dias, amiga de Manuel Carvalho, testemunhou que este lhe enviou duas SMS após a operação. A primeira dizia "estou vivo" ou "sobrevivi". Quis saber mais e perguntou: "Mas estás bem?". Após 15 ou 20 minutos, ele respondeu, em maiúsculas: "PARECE QUE ME ESTOU A AFOGAR NA PRÓPRIA BABA". Ana Dias salientou que a mensagem, em letras maiúsculas, lhe chamou a atenção por parecer "um pouco agressiva". "Ainda brinquei a dizer para ele pedir uma morfina à enfermeira, mas já não tive resposta", contou a amiga.

Irmã avisou

A irmã de Manuel já tinha contado, na audiência anterior, que o irmão se queixou de dores quando chegou ao quarto. Fernanda Carvalho acompanhou-o antes e depois da cirurgia e lembra-se de que ele chegou ao quarto "combalido, de olhos fechados," e "disse que teve uma crise de pânico no recobro e não conseguia engolir". Contou que avisou a enfermeira de que o irmão se queixava de dores. "Ela disse para não me preocupar

Leia mais na edição impressa ou na versão e-paper