Tribunal

Pedido internamento de jovem que matou mãe com 20 facadas no Seixal

Pedido internamento de jovem que matou mãe com 20 facadas no Seixal

O Ministério Público pediu uma medida de internamento para Lucas Paulo, que, em novembro de 2020, matou a mãe em casa com 20 facadas. Em causa, o diagnóstico de esquizofrenia paranoica a que chegou o Instituto de Medicina Legal e que indica que o jovem de 23 anos sofria desta anomalia psiquiátrica na altura do crime.

Lucas Paulo responde em tribunal por homicídio qualificado. Nas alegações finais, que decorreram esta segunda-feira em Almada, o arguido chorou perante o coletivo de juízes, admitindo que já se tentou matar no Estabelecimento Prisional de Lisboa, onde se encontra na ala clínica.

No dia do crime, vítima e agressor estavam sozinhos em casa, na Rua Eusébio Leão, em Paio Pires, e discutiram pela falta de emprego do jovem de 24 anos. Após a discussão, a vítima, Tereza Paulo, de 60 anos, dirigiu-se para a sala e foi atacada pelo filho com um x-ato.

Durante o ataque, a mulher de 60 anos tentou fugir pela janela do rés-do-chão de casa, mas foi apunhalada nas costas. Voltou para dentro de casa, tentou refugiar-se na cozinha, mas o atacante seguiu-a.

Lucas tirou nesta altura duas facas da gaveta da cozinha, desferindo diversos golpes no corpo da vítima. Tereza acabou por perder a vida vítima do ataque de fúria do filho. Para evitar que o seu pai adotivo entrasse na habitação, o que viria a acontecer horas depois, o homicida trancou a porta e encostou móveis e eletrodomésticos. Depois, tomou banho, deixou as roupas que usava no quarto e saiu pela janela.

O marido da vítima chegou a casa do trabalho por voltas das 20 horas e após alguma dificuldade em abrir a porta, deparou-se com o corpo da mulher prostrado na cozinha.

PUB

A Polícia Judiciária de Setúbal foi acionada e horas depois, já na madrugada de terça-feira, deteve o suspeito. A GNR procurava pelo jovem quando recebeu uma denúncia de que um homem deambulava numa rua em Paio Pires de forma errática, como se se quisesse esconder. Os militares acorreram ao local, capturaram o jovem e entregaram-no à PJ, que o deteve. Lucas foi presente ao Tribunal do Seixal e ficou em prisão preventiva, onde ainda permanece hoje.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG