Prisão

Pedro Dias condenado por furto de aves exóticas

Pedro Dias condenado por furto de aves exóticas

Depois de, em março, ter sido condenado, em cúmulo jurídico, à pena máxima de 25 anos de prisão, nomeadamente, por três crimes de homicídio qualificado em Aguiar da Beira, Pedro Dias voltou esta, esta sexta-feira, a ser condenado, desta vez, pelo crime de furto qualificado de aves exóticas.

O Tribunal de Tondela condenou-o a dois anos de prisão efetiva, tal como pedia o Ministério Público, por, na noite de 19 para 20 de junho de 2014, ter furtado aves exóticas no valor de 5500 euros de um centro de reprodução, em Parada de Gonta, Tondela, e de as ter levado para a sua quinta, em Arouca.

Entre as espécies estavam patos de rabo alçado (espécie protegida), encontradas pela GNR a 6 de novembro do mesmo ano.

Ao longo do julgamento, Pedro Dias negou o furto. Argumentou que fazia coleção de aves, mas que as comprava, nomeadamente, em Sevilha e numa feira no Porto. E disse que não podia ter furtado as aves porque, na noite dos crimes, esteve em Arouca, em casa dos pais, onde jantou e dormiu a planear um cruzeiro em família pelo Mediterrâneo, versão corroborada pelo pai e pela irmã.

O Tribunal entendeu não existirem dúvidas de que Pedro Dias foi o autor do furto. Além da pena de prisão, Pedro Dias foi ainda condenado a pagar uma indemnização de cerca de 4300 euros ao proprietários das aves.

O advogado de Pedro Dias anunciou que vai recorrer da decisão.

Caso a sentença de 25 anos de cadeia não sofra alterações, depois da decisão do recurso que vai ser interposto, a sentença do tribunal de Tondela será irrelevante, uma vez que 25 anos é a pena máxima.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG