Tribunal

Pena suspensa para ex-funcionária que lesou Secundária de Felgueiras em 24 mil euros

Pena suspensa para ex-funcionária que lesou Secundária de Felgueiras em 24 mil euros

Uma ex-funcionária da Escola Secundária de Felgueiras que estava a ser julgada por ter desviado 24 mil euros das contas bancárias da instituição para três contas do filho, foi esta quinta-feira condenada a dois anos e quatro meses de pena suspensa, pelo Tribunal de Penafiel.

Depois de ouvir a sentença, a mulher, de 64 anos, em lágrimas, ajoelhou-se e agradeceu à juíza. Durante o julgamento, a ex-funcionária confessou integralmente os factos, mostrando-se arrependida e envergonhada e relatando que o fez para pagar a faculdade do filho.

PUB

Foi aliás esta posição da mulher, assim como o facto de não ter antecedentes criminais, que foi ponderada pelo Tribunal. "Nós cometemos erros e para o Tribunal é muito importante que as pessoas reconheçam esses erros", afirmou a juíza, aconselhando a mulher a "pagar pelos erros e seguir em frente".

Os factos ocorreram entre setembro de 2014 e julho de 2017, período durante o qual a funcionária desviou 24 mil euros das contas da Escola Secundária, às quais tinha acesso devido às funções de secretária do Conselho de Administração da Escola. Era responsável pela preparação de operações para pagamento a fornecedores, operações estas que depois eram aprovadas por outro membro do Conselho Administrativo.

Aproveitando o acesso aos códigos das contas, a mulher realizou um total de 45 operações bancárias, utilizando documentos de despesas da Escola já pagas, e transferiu cerca de 24 mil euros para três contas bancárias tituladas pelo seu filho.

Quando o esquema foi descoberto, em fevereiro de 2019, a funcionária foi despedida e alvo de um processo disciplinar. Assumiu à data os factos e devolveu a totalidade do valor à Escola Secundária de Felgueiras.

Pelos crimes de peculato, falsidade informática e burla informática, a mulher foi condenada a dois anos e quatro meses de prisão, pena suspensa na sua execução.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG