Tribunal

Pescador de Vila do Conde condenado por traficar droga no Mediterrâneo

Pescador de Vila do Conde condenado por traficar droga no Mediterrâneo

O Tribunal Central Criminal de Lisboa condenou, esta sexta-feira, um pescador de Vila do Conde, de 53 anos, a dez anos de prisão por traficar haxixe no mar Mediterrâneo.

João Caetano foi detido, a 17 de maio de 2017, ao largo de Marrocos, a bordo de uma embarcação na qual estavam escondidas cerca de dez toneladas de haxixe, avaliado em mais de 23 milhões de euros. Seria, pelo menos, a quarta viagem que realizaria com o propósito de transportar droga entre Marrocos e a Líbia.

O proprietário do barco e outros dois tripulantes, todos de nacionalidade holandesa, foram punidos com penas entre os seis anos e meio e os nove anos de cadeia, por tráfico de estupefacientes agravado.

Um quarto tripulante, português, foi condenado a sete anos de prisão, por tráfico de estupefacientes simples. Apesar de ter tido apenas um papel lateral na última viagem, a pena de António Carneiro foi agravada por ter uma condenação anterior, na Póvoa de Varzim, por tráfico de droga.

Já as companheiras de João Caetano e de um dos holandeses foram absolvidas de todos os crimes, tal como um outro português, que alegadamente participara numa viagem anterior.

O tribunal considerou, ainda assim, que não foi possível provar que João Caetano aderiu, como constava da acusação do Ministério Público, a uma organização na qual desempenhava uma posição de relevo. O pescador foi, por isso, absolvido do crime de associação criminosa.