Dark Web

Piratas informáticos publicaram dados de 1,5 milhões de clientes da TAP

Piratas informáticos publicaram dados de 1,5 milhões de clientes da TAP

O grupo de piratas informáticos que dá pelo nome de Ragnar Lock publicou os dados de 1,5 milhões de clientes da TAP. Os cibercriminosos alegam, numa mensagem publicada na Darkweb, que continuam a ter acesso aos sistemas informáticos da empresa. A TAP garante que conteve o ataque e não tem indicação de que os hackers tenham acedido a informações sensíveis, como dados de pagamento.

A TAP ter-se-á recusado a pagar o resgate pedido pelos piratas e estes, em retaliação terão publicado os mesmos. "Além das tabelas com moradas, números de telefone e nomes de clientes, a fuga de dados apresenta documentos de identificação de pessoas que aparentam ser profissionais ou parceiros da TAP, bem como acordos confidenciais com várias empresas e relações com outras companhias de aviação", avança o jornal Expresso, que diz ter acedido aos ficheiros.

Questionada pela Lusa, a TAP admite que, "infelizmente, alguns dados foram roubados pelos hackers e estão a ser divulgados publicamente" e que podem incluir nomes, informações de contacto, informações demográficas e número de passageiro frequente. Porém, sublinha que, "até ao momento, não há indicação de que informações sensíveis, em particular dados de pagamento, tenham sido exfiltradas".

PUB

Segundo o Expresso, o grupo de cibercriminosos Ragnar Locker garante ainda que continua a ter acesso aos sistemas informáticos da TAP. Já a transportadora frisa que "graças aos sistemas de cibersegurança e à rápida atuação da equipa interna de TI [tecnologias de informação], a intrusão foi contida numa fase inicial, antes de provocar danos nos processos operacionais" pelo que a operação nunca foi afetada.

TAP avisou clientes sobre eventual divulgação

Num email enviado aos clientes na semana passada, a TAP alertou os clientes afetados pelo ataque informático, cujos dados foram publicados, de que esta divulgação "pode aumentar o risco do seu uso ilegítimo", pedindo atenção a comunicações suspeitas.

A transportadora recordou que o ciberataque foi "prontamente comunicado às diversas autoridades competentes", reiterando que "foram desencadeadas as medidas e procedimentos apropriados de cibersegurança para este tipo de eventos com o apoio de uma empresa internacional especializada e líder da indústria" e que "as medidas adotadas permitiram garantir a integridade dos dados e a operacionalidade, em segurança, de todos os sistemas" da companhia.

"Lamentamos muito que dados pessoais seus tenham sido incluídos nesta divulgação e por qualquer inconveniente que isso lhe possa causar", disse a TAP, reafirmando ainda o seu "compromisso" com a proteção dos dados pessoais e adiantando que estão "a ser desenvolvidas medidas de reforço da segurança" dos dados.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG