Justiça

PJ aproveita S. João para desmantelar rede familiar de traficantes

PJ aproveita S. João para desmantelar rede familiar de traficantes

A Diretoria do Centro da Polícia Judiciária aproveitou a descontração das festas de S. João, na Figueira da Foz, para dar o golpe sobre uma rede familiar que investigava há mais de dois anos, por suspeitas de tráfico de estupefacientes e branqueamento de capitais.

A operação policial foi executada com ajuda da GNR e PSP, na terça-feira à tarde, 23 de junho, e resultou na detenção de quatro membros de uma abastada família da Figueira da Foz (mãe, filho, nora e neto por afinidade, entre os 20 e os 57 anos), na constituição de outros oito arguidos e na apreensão de cerca de 500 doses de cocaína e 200 de heroína e três balanças de precisão.

Outras apreensões foram feitas pela PJ, mas para provar o crime de branqueamento de capitais: cerca de cem peças em ouro com mais de um quilograma, 15.500 euros em numerário, mais de 700 peças de vestuário contrafeitas, mobiliário diverso, equipamento informático, de comunicações e imagem, eletrodomésticos e seis viaturas (uma delas de gama alta e outra de coleção), enumerou ontem a PJ em comunicado.

O raide policial centrou-se na Figueira da Foz, mas algumas das 28 buscas domiciliárias e em viaturas tiveram lugar em Leiria, sobre familiares dos principais suspeitos. Estes começaram a ser investigados por ostentarem um nível de vida incongruente com os rendimentos declarados. "Eram os imóveis, as viaturas, as festas de casamento...", exemplifica fonte policial.

Esta fonte conta que, depois de a PJ verificar que os suspeitos colocavam no mercado da Figueira da Foz e de Leiria "quantidades assinaláveis" de estupefacientes, "era importante apanhá-los na posse de alguma droga", mas eles tomavam cuidados para nunca terem produto consigo. A descontração dos festejos de S. João ofereceram uma oportunidade, e a PJ avançou. As cerca de 800 doses apreendidas aos principais suspeitos, segundo a mesma fonte da Judiciária, "seriam droga para distribuir no dia e noite de S. João".

Esta mesma investigação já estivera na origem da detenção, há mais de um ano, de outros três indivíduos, na Figueira da Foz e em Condeixa-a-Nova, por tráfico de haxixe. Na altura, foi aprendido o equivalente a cerca de dez mil doses daquele estupefaciente. Os três detidos eram figuras secundárias da rede, tendo a PJ procurado passar a ideia, aparentemente com sucesso, de que a sua investigação se limitava àqueles três, para não alarmar os cabecilhas.

Aqueles três suspeitos chegaram a estar em prisão domiciliária, mas as medidas de coação foram, entretanto, aligeiradas. Quanto aos quatro indivíduos agora detidos, foram presentes a interrogatório judicial, no Tribunal de Instrução Criminal de Coimbra, esta quinta-feira à tarde, não tendo sido ainda aplicadas medidas de coação, até à hora de fecho desta edição.