Fiscalização

PJ foi a casa de Rendeiro confirmar se obras de arte não foram desviadas

PJ foi a casa de Rendeiro confirmar se obras de arte não foram desviadas

Inspetores visitaram casa do ex-banqueiro, em Cascais, na manhã desta segunda-feira. Mulher do antigo presidente do BPP é a fiel depositária dos quadros e esculturas.

A mulher do ex-banqueiro João Rendeiro, Maria de Jesus Rendeiro, recebeu a visita da Polícia Judiciária, na manhã desta segunda-feira. Os inspetores deslocaram-se à habitação do casal, na Quinta Patino, em Cascais, para confirmar se todas as obras de arte arrestadas em 2010, no âmbito de um processo judicial ligado ao BPP, se mantêm na residência ou foram desviadas.

Segundo a SIC e a TVI, Maria de Jesus Rendeiro é a fiel depositária de 124 quadros e esculturas, de artistas nacionais e estrangeiros, que faziam parte do recheio da habitação. Estas obras de arte foram arrestadas há 11 anos, para garantir o pagamento de uma eventual indemnização superior a 29 milhões de euros ao BPP, por todos os arguidos. Além de João Rendeiro, que neste processo foi sentenciado a dez anos de prisão, também os ex-administradores do banco Salvador Fezas Vital e Paulo Guichard e Fernando Lima foram condenados. Os dois primeiros têm de cumprir nove anos e meio de cadeia e Fernando Lima seis.

Para garantir o pagamento da indemnização, só a João Rendeiro foram arrestadas as 124 obras de arte, uma vivenda e um terreno na Quinta Patino, um apartamento em Lisboa e outro em Paço de Arcos, assim como 1,5 milhões de euros em dinheiro, contas e ativos bancários.

A Polícia Judiciária permaneceu cerca de duas horas na residência de João Rendeiro, mas ainda não é conhecido o resultado da inspeção. Se alguma das obras tiver sido desviada, Maria de Jesus Rendeira, que estava obrigada a preservar as obras de arte na casa da família, será acusada do crime de descaminho.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG