Marrazes

Cadáver em decomposição encontrado em casa de Leiria

Cadáver em decomposição encontrado em casa de Leiria

Mulher, com cerca de 50 anos, não era vista há duas semanas. Companheiro da vítima mortal estava no mesmo apartamento e foi transportado para o hospital em estado grave. PSP e PJ não afastam cenário de crime

O corpo de uma mulher, com cerca de 50 anos, foi encontrado, na tarde desta quarta-feira, em avançado estado de decomposição, pelos bombeiros e pela PSP, num apartamento de Marrazes, em Leiria. Na residência permanecia ainda o companheiro da vítima mortal. Ligeiramente mais velho, o homem estava muito debilitado e foi transportado para o Hospital de Leiria. A PSP e a Polícia Judiciária investigam todos os cenários, inclusive o de homicídio seguido de suicídio.

A mulher já não era vista na rua há cerca de duas semanas, mas só nesta quarta-feira é que a vizinhança estranhou o mau cheiro que emanava do apartamento do casal e alertou a PSP. Uma patrulha deslocou-se, pelas 16.30 horas, ao local. Com o auxílio dos Bombeiros Voluntários de Leiria, arrombou a porta da habitação. Pouco depois, foi localizado o corpo da mulher na casa de banho e fontes da PSP e da corporação de Leiria confirmam, ao JN, que o cadáver estava já em estado avançado de decomposição.

Simultaneamente, bombeiros e polícias também sinalizaram um homem deitado na cama de um dos quartos do apartamento. "Não reagiu à nossa entrada por estar muito debilitado. Mas foi possível detetar sinais vitais", descreve fonte dos Bombeiros. Nessa altura, foi acionada a viatura médica de emergência e reanimação, cuja equipa estabilizou a vítima antes de a acompanhar até ao Hospital de Leiria, onde continua internada com um prognóstico bastante reservado.

Segundo o JN apurou, mulher e homem padeciam de perturbações mentais e viviam numa residência que, agora, foi encontrada repleta de lixo e sem dispor de condições de habitabilidade. Uma fonte policial fez referência também a um quadro de alcoolismo.

Perante o cenário encontrado, PSP e Polícia Judiciária não afastam totalmente a hipótese de crime, nomeadamente a possibilidade de o homem ter assassinado a companheira e ter tentado o suicídio.

Por volta das 23 horas desta quarta-feira, fonte da PJ de Leiria contou que a análise ao cadáver realizada no apartamento não permitiu detetar sinais de violência compatíveis com um homicídio. No entanto, sublinhou que será preciso esperar pela autópsia para chegar a conclusões firmes.

PUB

Quanto ao homem, foi levado para o hospital também sem sinais que evidenciassem uma eventual tentativa de suicídio.

Os polícias estão a verificar se há registo de anteriores denúncias de violência doméstica que envolvam o casal

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG