Penedono

Polícia usa livro de preces da mãe para apanhar incendiário

Polícia usa livro de preces da mãe para apanhar incendiário

Funcionário da Câmara de Penedono está preso por suspeitas de atear três incêndios florestais. A mãe do detido pediu a Santa Eufémia, num livro, para o filho perder "o vício dos fogos". O advogado está a tentar anular a prova.

Uma prece à Santa Eufémia, escrita pela mãe de um alegado incendiário num livro que existe para o efeito no Santuário de Penedono, foi fotografado pela Polícia Judiciária e usado como prova para incriminar um indivíduo de 27 anos, funcionário da Câmara de Penedono, por três crimes de incêndio florestal.

"Santa Eufémia, peço-te que ajudes o meu filho na caminhada da sua vida, que tenha saúde e que perca o vício dos fogos e que seja sociável. Te amo", é a "confissão indireta" escrita pela mãe do arguido e que foi descoberta e fotografada pelos investigadores.

O advogado do arguido, Filipe Santos Marques, tenta anular a prova, por entender que há violação do segredo religioso. "Não pode valer tudo. Há limites para a forma como se obtém a prova no processo penal", argumenta. "Um dos limites inultrapassáveis é a matéria que envolve o sigilo religioso. Quando alguém faz um pedido nesse âmbito, está a revelar o mais íntimo que tem na alma e fá-lo no pressuposto de que fica guardado para sempre. Ainda por cima, o pedido é dirigido à Santa, nem sequer é ao padre", acrescenta o advogado.

Ler mais na edição impressa ou na versão e-paper

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG