Exclusivo

Polícias exigem medidas para parar ameaças de morte e emboscadas em bairros

Polícias exigem medidas para parar ameaças de morte e emboscadas em bairros

As forças de segurança exigem punição severa para discurso de ódio a agentes e militares. A PSP criou uma equipa para identificar mensagens na Internet.

"Vamos queimar a casa deles ou então vamos descobrir onde é que um, dois ou três deles [polícias] moram, esperar na porta e balázio na cabeça. Mas temos de nos organizar". O apelo surgiu, na semana passada, logo após os últimos confrontos entre a PSP e os moradores da Quinta do Mocho, em Loures, num vídeo publicado nas redes sociais. As imagens estão a ser investigadas pela PSP, que criou uma equipa especial para identificar os autores de ameaças a polícias na Internet. Contudo, os representantes dos agentes e militares exigem mais, nomeadamente punições severas para quem incitar ao ódio contra polícias. À semelhança do que a Inspeção-Geral da Administração Interna impôs, no início deste mês, para os membros da GNR, PSP e SEF. Até porque algumas ameaças deram origem a emboscadas contra forças de segurança em bairros.

O vídeo que incentiva à violência terá sido publicado nas redes sociais, apurou o JN, por um morador da Quinta do Mocho considerado "agressivo, hostil e perigoso". Também é visto como uma personalidade com grande influência naquela comunidade e está já sob a alçada das autoridades. "O vídeo é conhecido, está em investigação e será comunicado à autoridade judiciária", confirmou ao JN fonte da PSP. "Quando estiver calmo e passarem um ou dois polícias sozinhos, vocês partem o carro todo, tiram-nos de lá de dentro e espanquem os gajos", é outra das frases que sustenta a investigação da PSP.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG