PSP

Praticante de tiro desportivo multado por disparar para o ar no Ano Novo

Praticante de tiro desportivo multado por disparar para o ar no Ano Novo

Vídeo publicado nas redes sociais mostra disparos, junto a criança e no meio de prédios. PSP identificou imagens através do Núcleo de Cibercriminalidade e apreendeu oito armas, todas legais, numa casa em Vila Nova de Famalicão.

Um praticante de tiro desportivo filmado a disparar vários tiros de uma pistola irá pagar uma multa entre os 400 e os 4000 euros. Também irá enfrentar um processo que poderá culminar com a cassação da licença de uso e porte de arma, que lhe permitia possuir não só a Glock com que efetuou os disparos, como os sete revólveres, uma pistolas, duas carabinas e duas espingardas que tinha em casa e que utilizava para a prática de tiro desportivo e para a caça.

Além deste caso, a PSP está a investigar vários casos de disparos realizados para celebrar o Ano Novo, identificados pelo Núcleo de Cibercriminalidade, dedicado, em exclusivo, a sinalizar crimes através das redes sociais.

Disparos junto a criança e no meio de prédios

O vídeo começou a circular pela Internet logo no início do ano. Nas imagens é visto um homem a retirar uma Glock de uma caixa protetora pousada na mala do carro e a inserir várias munições no carregador, disparando, em seguida, consecutivamente para o ar. Depois, volta a municiar o carregador e repete os disparos, efetuados no meio de um bairro residencial e com, pelo menos, uma criança por perto.

O vídeo foi identificado pelo Núcleo de Cibercriminalidade da PSP que, apurou o JN, esteve concentrado, nos primeiros dias de 2022, em sinalizar este tipo de comportamento, comum em alturas festivas como a Passagem de Ano. Feito o rastreamento, agentes do Departamento de Armas e Explosivos da Polícia dirigiram-se, na terça-feira, à habitação autor dos disparos, em Vila Nova de Famalicão e confirmaram que, além da Glock, o homem possuía outras sete armas e que todas estavam legais. O indivíduo dispõe de licença de uso e porte de arma para tiro desportivo e para caçar.

PUB

Armas poderão não ser devolvidas

Mesmo assim, todas as armas foram apreendidas por, com base nas imagens do vídeo publicado nas redes sociais, estar em causa várias infrações às disposições do Regime Jurídico de Armas e Munições, nomeadamente o uso indevido de arma.

Para já, o praticante de tiro desportivo e caçador foi sujeito a uma contraordenação, que o obrigará ao pagamento de uma multa entre os 400 e os quatro mil euros. E irá enfrentar um processo de cassação de licença de uso e porte de arma. Caso a decisão final do diretor nacional da PSP, superintendente Magina da Silva, seja a de retirar a licença ao praticante de tiro desportivo as armas agora apreendidas não serão devolvidas.

Ao JN, o intendente Paulo Costa, do Departamento de Armas e Explosivos, avisa que "a PSP está atenta a este tipo de fenómenos e irá atuar de imediato" em todos os casos que sinalizar.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG