Exclusivo

Presidente do Politécnico da Guarda julgado por crimes informáticos

Presidente do Politécnico da Guarda julgado por crimes informáticos

O atual presidente do Instituto Politécnico da Guarda (IPG), Joaquim Brigas, vai mesmo ser julgado pelos crimes de interceção e acesso ilegítimos à conta eletrónica de Constantino Rei, seu antecessor na função.

A decisão do juiz de instrução foi conhecida no final da semana e também manteve, embora parcialmente, a acusação do Ministério Público sobre o atual vice-presidente, Carlos Rodrigues, que apenas responderá pelo crime de interceção ilegítima, pois foi despronunciado do crime de acesso ilegítimo à conta do anterior titular do cargo, Gonçalo Poeta. O juiz escreveu que, pese embora Rodrigues tenha solicitado aos serviços de informática do instituto que vedasse o acesso do antecessor à conta que lhe estava atribuída, o presidente do IPG já se tinha antecipado na ordem e, como tal, não pode ser responsabilizado.

E-mails redirecionados

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG