Exclusivo

Preso monta esquema de burla com casas de férias a partir da cadeia

Preso monta esquema de burla com casas de férias a partir da cadeia

Conseguiu enganar 14 donos de casas de férias a quem sacou perto de 40 mil euros. Mulher, em liberdade, era cúmplice para abrir empresas e movimentar contas bancárias.

A partir de uma cela da cadeia da Carregueira, em Belas, Sintra, com um simples telemóvel ligado à Internet e uma cúmplice no exterior, um recluso conseguiu criar empresas, arranjar um testa de ferro e burlar uma dezena de proprietários, em regime de timesharing, com casas de férias. Sacou-lhes perto 40 mil euros até o esquema ser descoberto pela PSP. O homem, de 50 anos, e a respetiva mulher, 20 anos mais nova, foram agora acusados, pelo Ministério Público (MP), de 14 crimes de burla e um de falsas declarações.

De acordo com a acusação do MP de Lisboa, António Abílio Costa, natural de Setúbal e diretor-geral de empresas, estava detido há mais de um ano quando planeou e executou as burlas. A cumprir nove anos de prisão por crimes semelhantes, António Costa tinha sido extraditado para Portugal da Bielorrússia, onde foi detido ao abrigo de um mandado de detenção internacional. Estava lá com a mulher, Natallia, que viria a tornar-se cúmplice nas burlas, segundo o MP.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG