Norte

Prisão preventiva para quatro detidos por assaltos e sequestros de idosos

Prisão preventiva para quatro detidos por assaltos e sequestros de idosos

Ficam em prisão preventiva quatro dos 19 indivíduos detidos pela GNR, na segunda-feira, durante a megaoperação lançada pelo Comando do Porto, na zona Norte, para desmantelar uma rede criminosa organizada que se dedicava ao assalto e sequestro de idosos, entre outros crimes. As medidas de coação foram aplicadas pelo Tribunal de Instrução Criminal (TIC) do Porto, nesta quinta-feira.

Oito dos indivíduos detidos ficaram obrigados a apresentar-se periodicamente às autoridades e estão proibidos de contactar os restantes arguidos do processo. Aos restantes três foi aplicado o termo de identidade e residência.

Segundo o JN apurou, o TIC aplicou ainda a medida de coação de prisão domiciliária a outros três indivíduos. Um outro suspeito foi conduzido à cadeia, uma vez que sobre ele pendia um mandado de detenção para cumprimento de cinco anos de prisão efetiva pelo crime de tráfico de estupefacientes.

PUB

Liderada por um único homem, de 30 anos - agora colocado em pisão preventiva -, esta era uma rede criminosa organizada, metódica e muito ativa: os sucessivos alvos eram sempre escolhidos a dedo e estudados ao pormenor, para que tudo corresse como planeado e cada assalto rendesse uma elevada quantia em dinheiro. Para isso, os suspeitos contavam com informações obtidas por um dos elementos da rede, um profissional da segurança privada que usava informação privilegiada, a que tinha acesso por via do trabalho que desempenha, para perceber que habitações dispunham de alarmes ou reforço de segurança, o que seria indício de que no interior haveria valores avultados.

Vítimas eram idosos com moradias

Os alvos preferenciais eram sempre pessoas de idade avançada a residir em moradias e que potencialmente guardassem quantias avultadas de dinheiro em casa. Ao longo de vários meses, aterrorizaram sobretudo idosos, a quem assaltavam em casa, por vezes com recurso a armas, violência física e sequestro, para acederem a cofres. Atuavam sobretudo nos distritos do Porto e de Braga, aí gerando um grande alarme social.

Os detidos, com idades entre os 19 e os 50 anos - incluindo duas mulheres - e na maioria com antecedentes criminais, são suspeitos de, pelo menos, 60 crimes, que foram investigados pelos militares do Núcleo de Investigação Criminal (NIC) de Santo Tirso da GNR. Os investigadores começaram a seguir o rasto à organização há cerca de dois anos, na sequência de três furtos a estabelecimentos ocorridos em Vila das Aves, Santo Tirso. A partir daí, apanharam o fio da teia que era urdida por um indivíduo de 30 anos que assumia a função de mentor da rede, planeando e coordenando meticulosamente as investidas, incluindo a seleção dos comparsas que executavam cada crime.

Também atuaram no Algarve

Além dos assaltos, a organização dedicava-se a outros tipos de ilícitos, havendo alguns elementos que se dedicavam apenas a uma atividade. Atuavam em todo o território nacional - chegaram a fazer um furto no Algarve -, e em causa estão crimes de furto, furto qualificado, roubo, sequestro, extorsão, posse de armas proibidas, tráfico de armas, tráfico de estupefacientes, burla e associação criminosa.

A megaoperação da GNR, desencadeada em simultâneo, por volta das 7 horas de segunda-feira, nos distritos do Porto, Braga e Aveiro, envolveu mais de 300 militares e foi o culminar da investigação do NIC de Santo Tirso por crimes contra o património. Foram efetuadas mais de 60 buscas em Matosinhos, Santo Tirso, Valongo, Trofa, Gaia, Maia, Paços de Ferreira, Ermesinde, Famalicão, Braga, Guimarães e Oliveira de Azeméis. Além dos 19 detidos, outros 12 homens foram constituídos arguidos. Foram apreendidas oito armas de fogo e 715 munições, 10 viaturas de gamas média e alta, 17 mil euros em dinheiro, 772 doses de heroína, 561 de cocaína e peças em ouro, entre outros materiais.

A rede agora desmantelada é a mesma que no passado dia 12 efetuou um assalto violento, com sequestro das vítimas, numa residência em Vila das Aves, Santo Tirso, apurou o JN. Durante a madrugada, três indivíduos encapuzados e armados entraram na habitação e sequestraram pai e filho. Amarraram o primeiro, um homem com mais de 90 anos, e agrediram o segundo. Roubaram perto de 10 mil euros em dinheiro. Em outubro, tinham assaltado com violência um posto de abastecimento na mesma zona.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG