Justiça

Prisão preventiva para cinco jovens suspeitos de roubos violentos na região de Lisboa

Prisão preventiva para cinco jovens suspeitos de roubos violentos na região de Lisboa

Os cinco jovens, que foram detidos por suspeita de pertencer a um grupo que cometia roubos "violentos" em vários concelhos da Grande Lisboa, ficaram em prisão preventiva, adiantou à agência Lusa a Polícia Judiciária (PJ).

Os detidos, sem ocupação profissional, foram hoje presentes a primeiro interrogatório judicial, no Tribunal de Instrução Criminal de Sintra.

Em comunicado, a PJ refere que os cinco jovens, entre os 17 os 21 anos, foram detidos "fora de flagrante delito", por suspeita de "diversos crimes de roubo agravado, com recurso a arma de fogo, detenção de arma proibida, tráfico de estupefacientes, burla informática nas telecomunicações e acesso ilegítimo".

Na mesma nota é explicado que os crimes foram praticados "nas comarcas de Sintra, Amadora e Lisboa, entre julho e novembro de 2021", sendo que os cinco detidos são suspeitos de terem "formado um bando" para executar "planos de assaltos à mão armada, visando taxistas e utentes de transportes públicos".

"Os crimes eram executados com recurso a armas de fogo e extrema violência física e psicológica, de modo a condicionar as diversas vítimas à entrega, designadamente, de dinheiro, telemóveis e cartões bancários, através dos quais, na posse dos respetivos códigos, efetuavam levantamentos, transferências e aquisições de bens e serviços", descreve a PJ.

Além das cinco detenções, a PJ levou a cabo treze buscas domiciliárias, nas residências utilizadas pelos suspeitos, durante as quais de se procedeu à apreensão de "elementos probatórios" e à recuperação de alguns bens e valores provenientes da prática dos roubos.

A PJ informa ainda que um sexto suspeito já se encontra preso preventivamente "à ordem de outro inquérito da mesma natureza".

PUB

"Com esta ação, a Polícia Judiciária considera ter desarticulado uma importante atividade delituosa grupal na área da Grande Lisboa", refere ainda a PJ, indicando que nesta operação estiveram envolvidos cerca de 60 elementos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG