Castelo Branco

Prisão preventiva para engenheiro suspeito de atear incêndios

Prisão preventiva para engenheiro suspeito de atear incêndios

O engenheiro eletrotécnico, de 38 anos, que foi detido pela suspeita de causar fogos florestais usando um engenho eletrónico, no distrito de Castelo Branco, vai aguardar julgamento em prisão preventiva.

Recorde-se que o homem foi detido no seguimento de quatro focos de incêndio registados no último domingo, nos concelhos da Sertã e Proença-a-Nova. Estes fogos terão sido provocados por um engenho eletrónico idealizado e construído pelo engenheiro.

"O engenho tem um temporizador programado pelo autor, que fechava o circuito no tempo por si escolhido. Ao fechar o circuito provoca a ignição da matéria combustível envolvente. Os temporizadores podem ser programados até 11 dias, os de domingo estavam com programação de 48 horas", revelou o coordenador de investigação criminal da Polícia Judiciária (PJ), Fernando Ramos.

O subdiretor da PJ do Centro, Válter Constantino, acrescentou que investigação durou dois anos e que o suspeito já estava referenciado pelas autoridades. Um dos incêndios que terá sido causado pelo suspeito foi o que ocorreu em Mação, em julho de 2017, que destruiu cerca de 33 mil hectares de floresta.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG