Tribunal

Prisão preventiva para narcotraficantes de rede organizada no Porto

Prisão preventiva para narcotraficantes de rede organizada no Porto

O Tribunal de Instrução Criminal do Porto decretou na terça-feira prisão preventiva como medida de coação a aplicar aos dois detidos de uma rede organizada de tráfico de droga na Área Metropolitana do Porto.

Os dois homens de nacionalidade portuguesa, com idades compreendidas entre os 30 e os 35 anos, foram na terça-feira ouvidos no Tribunal de Instrução Criminal do Porto e viram-lhes ser aplicada a medida de coação de prisão preventiva, adiantou à Lusa fonte da PSP do Porto.

A PSP apreendeu na segunda-feira passada 60 quilos de haxixe e 46 quilos de liamba em domicílios e lojas da Área Metropolitana do Porto e deteve dois homens de uma rede organizada de tráfico de droga.

O comissário Paulo Varandas, da Divisão da Investigação Criminal (DIC) da PSP do Porto, revelou hoje, em conferência de imprensa, que os dois indivíduos faziam parte de uma "rede organizada, estruturada e concertada", com "tarefas definidas".

Durante a operação policial, a PSP apreendeu drogas variadas, designadamente haxixe, liamba, cocaína, heroína, anfetaminas e produto de corte.

O comissário Paulo Varandas destacou a apreensão de "60 quilos de haxixe e 46 quilos de liamba" durante a operação policial.

PUB

"Esta droga destinava-se a ser vendida na grande Área Metropolitana do Porto", acrescentou o comissário, referindo que a maior parte da droga provinha do Algarve.

Houve uma detenção em flagrante delito e foram realizadas duas buscas domiciliárias e quatro buscas não domiciliárias. Destas quatro buscas não domiciliárias, duas foram a estabelecimentos comerciais no Porto e Rio Tinto e as restantes a duas viaturas.

A droga apreendida pela PSP estava repartida entre as "casas dos visados" em Matosinhos e Vila Nova de Gaia e estabelecimentos comerciais.

Durante a operação policial, os agentes apreenderam também duas viaturas, duas armas de fogo - um revólver de calibre .32 e uma pistola de calibre 6.35 - telemóveis, balança de precisão e outros objetos relacionados com tráfico de droga, além de uma quantia de dinheiro a rondar 30 mil euros.

A investigação policial da PSP decorria há cerca de seis meses.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG