SEF

PSD acusa ministro de fazer "reforma por baixo do tapete"

PSD acusa ministro de fazer "reforma por baixo do tapete"

O PSD quer que a reforma do SEF seja feita no Parlamento e que integre uma estratégia global para todo o sistema de segurança interna.

"O senhor ministro quer fazer a reforma de uma importantíssima força policial e de segurança sozinho, nas costas do Parlamento, do debate político e do que exige o sentido de responsabilidade numa área de soberania como esta", acusou André Coelho Lima, numa declaração realizada esta manhã na Assembleia da República.

O deputado do PSD considerou que esta "não é uma área de política partidária, mas de entendimento" e, por isso, apelou diretamente ao primeiro-ministro para que trave a reforma decretada por Eduardo Cabrita. "Estamos confiantes e seguros de que o primeiro-ministro saberá interpretar a importância de uma reforma desta natureza", antecipou.

O deputado avançou que o PSD, tal como o PS e o próprio sindicato, concordam com a separação organizativa entre funções administrativas e investigativas. "O que se discute é se o SEF deve deixar de ter unidade policial como pretende a reforma". Para o PSD, isso é totalmente desaconselhável, até pela experiência que o SEF tem acumulado.

"O SEF não deve perder a vertente policial. É uma polícia técnica. Não é administrativa. Tirar funções policiais ao SEF implica tirá-lo da rede de segurança interna, onde é fundamental", explicou André Coelho Lima.

Em vez de uma "reforma casuística" o PSD pretende que se promova uma "reforma global" e a "separação organizativa em todo o sistema de segurança interna"

O deputado aproveitou ainda para questionar o Governo sobre o que está a acontecer aos pedidos de asilo e de regularização uma vez que o SEF está impedido de fazer atendimentos.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG