Viseu

Psicóloga arguida por burlar jovem com deficiência mental

Psicóloga arguida por burlar jovem com deficiência mental

Uma mulher de 35 anos, licenciada em Psicologia, foi identificada pelo Núcleo de Investigação Criminal da GNR de Viseu por subtrair dez mil euros a uma mulher de 24 anos, portadora de deficiência mental.

António Dias, oficial de relações públicas da GNR de Viseu contou ao JN que as duas frequentavam um curso no Instituto de Emprego e Formação Profissional, onde se conheceram, no qual a vítima aprendia a viver em autonomia.

"A jovem com incapacidade cognitiva, que residia no NAVVD (Núcleo de Apoio à Vítima de Violência Doméstica) disse à suspeita que queria arrendar um quarto", contou o tenente-coronel.

A suspeita, que reside em Mundão, formada em Psicologia, mas que não está a exercer, arrendou-lhe um quarto e, desde então, passou a controlar-lhe tudo, incluindo comida, medicação e dinheiro.

"A suspeita convenceu a vítima a resgatar dez mil euros que tinha a prazo e, pouco a pouco, foi-lhe pedindo dinheiro até chegar aos dez mil euros", adiantou António Dias.

Os responsáveis pelo NAVVD suspeitaram da relação entre ambas e apresentaram denúncia no posto da GNR de Viseu.

Após buscas domiciliárias os militares recuperaram 1400 euros e apreenderam um automóvel que a suspeita comprou com o dinheiro conseguido.

A mulher foi constituída arguida e os factos foram remetidos ao Tribunal Judicial de Viseu.

Outros Artigos Recomendados