Controlo

PSP ainda na fase de sensibilização promete mão dura

PSP ainda na fase de sensibilização promete mão dura

Condutores foram mandados parar e questionados sobre os motivos que os levavam a conduzir. Excesso de pessoas nas marginais da Póvoa e Vila do Conde obrigou polícia a intervir

A PSP iniciou no domingo, pela meia-noite, uma vasta operação de policiamento para zelar pelo cumprimento das medidas impostas pelo Governo, na sequência do estado de emergência, em especial no que respeita às restrições de circulação de pessoas em viatura e mesmo a pé.

O JN acompanhou, logo pela manhã, uma das ações de fiscalização que a PSP do Porto, aleatoriamente, vai realizar 24 horas por dia. Na rotunda de acesso da Areosa à Avenida de Fernão de Magalhães agentes da Divisão de Trânsito (DT) controlaram as inúmeras viaturas e pessoas que passavam, incluindo bicicletas, "numa perspetiva, ainda, de sensibilização", explicou ao JN o comissário José Ferreira, da Divisão de Trânsito da PSP do Porto.

A presença próxima de uma grande superfície justificava grande parte das deslocações, enquanto outros condutores regressavam ou iam para o emprego, alguns deles exibindo uma declaração da entidade patronal.

Civismo antes de medidas

De acordo com o comissário José Ferreira, "mesmo antes de se falar em isolamento ou restrições à circulação, notámos uma diminuição do trânsito e menos gente na rua".

"Era um sinal claro de que os portuenses, de forma voluntária, já estavam a tomar medidas de contenção da pandemia. Agora, podemos atuar em caso de incumprimento das medidas impostas pelo Governo, mas temos notado um grande civismo", referiu o oficial da PSP. Um civismo que, no entanto, à tarde, em diversas cidades dos país, milhares de cidadãos esqueceram (ler ao lado).

Mas a PSP, no que ao trânsito diz respeito, estará atenta, com pontos de fiscalização de viaturas caracterizados pela mobilidade, isto é, aptos a mudar rapidamente de local. "Estamos atentos aos fluxos de trânsito", explicou.

Durante toda a manhã, os agentes da DT já haviam interpelado dezenas de viaturas e alguns ciclistas.

Onde a PSP vai ser inflexível é nas pessoas sujeitas a medidas de isolamento obrigatório. "Temos acesso a uma base de dados, permanentemente atualizada pela Direção-Geral da Saúde, e se detetarmos alguma pessoa na rua que deva estar confinada ao domicilio, imediatamente usamos os kits de prevenção individual para as conduzirmos ao seu domicílio e rebocamos a viatura. Incorrem, ainda, num crime de desobediência", revelou José Ferreira.

Balde de água fria foi como António Borges, motorista de um TVDE, classificou a pandemia e o estado de emergência. "Já há duas semanas que o serviço vinha escasseando e agora nem um quinto dos clientes tenho. Mas não posso ficar em casa. Investi tudo o que tinha e estava a correr tão bem", lamentou.

A fiscalização vai decorrer 24 horas por dia através de ações como as de ontem ou de patrulhamento apeado.

Marginal do Porto
Na tarde de domingo, desrespeitando as restrições de circulação, milhares de pessoas passearam na marginal nas zonas de Nevogilde e Foz, no Porto.

Enchente na Póvoa
Idêntico cenário em Vila do Conde e na Póvoa de Varzim, com a marginal repleta de gente, numa altura em que o país está em estado de emergência.

Maia e Trofa
Na Maia, devido ao grande fluxo de pessoas, a Autarquia teve de encerrar a Ecovia. Na Trofa, a Polícia Municipal interveio no Parque das Azenhas.

Bom Jesus em Braga
Em Braga, a GNR teve de encerrar o acesso ao escadório do Bom Jesus, impedindo dezenas de pessoas de usar o espaço para passear ou praticar desporto.

PSP no Choupal
A Câmara Municipal de Coimbra chamou a PSP à Mata Nacional do Choupal, depois de ter sido verificado um grande aglomerado de pessoas.

Missa em Mangualde
Em Mangualde, a GNR teve de intervir em Santiago de Cassurrães. O padre da freguesia celebrou missa às 11 horas, com a participação de oito pessoas.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG